Κυριακή, 9 Φεβρουαρίου 2014

O EMPREGADO DO COMMERCIO NÃO SABE LER? E FOI PARA APRENDIZ SEM SALÁRIO AOS DEZ ANNOS? PACIÊNCIA TIVESSE ESTUDADO E FOSSE BACHAREL COMO EU DIZ OLIVEIRA PIRES EM 1869.....DE FACTO A MISÉRIA ARGUMENTATIVA É HISTORICAMENTE UM FACTO CONSUMADO POR MUITOS CON'S

Direitos dos funccionarios



Algumas classes, que não desejo designar, criaram uma

jurispriidencin sua com relação aos funccionarios publicos.

JA não ha direitos adquiridos.
 
A lei deixou de ser a garantia
do cidadão. O estado esth no seu dircito de violar os

contractos. Optimos e asizados ,jurisconsultos se apuravam

entre estes pensadores ! !



Ponhamos aqui o argumento, magno com que se pretendo

justificar aquelles principios. E o seguinte :

O empregado do commercio em não sendo necessario



despede-se; quando não póde trabalhar, porque lhe chegaram

os achaquces da velhice, deixa de vencer.
 
Conseguintemente

quando o serviço publico prescinde de muitos braços,

e o thesouro se acha em tristes circumstancias, corta-se

o gordio das difficuldades financeiras despedindo oe empregados



que sobejarem, e acabando immediatamente com

as aposentações e reformas.

Avaliemos que paridade de circumstancias poderá haver

entre o empregado do estado e o empregado do commercio.

O caixeiro quando entra ao serviço do patrão sabe já

com que condições o faz. Não tem direito a pedir eetabilidade



vitalicia, nem aposentação na velhice, porque taes vantagens

se não estabeleceram no ajuste.
Póde comtudo exigir

maior ordenado em compensação da falta d'essas regalias....pois o patrão é certamente rico ou se tiver uma padaria paga-lhe em pão...

Em todo o caso o contracto é acceite de parte a parte



n'essas condiqões.

Dá-se caso identico com o empregado publico.

Foi chamado ao exercicio do seu logar mediante um ordenado

fixado por lei, e umas certas garantias de accesso,

de conservação e de reforma, egualmente estabelecidas por

disposições legislativas

e


para isso se lhe pediram estudos
 
superiores

o empregado do commercio não sabe ler?

pois soubesse